CONCURSOS - Regulamentos


Regulamento do Concurso Prazer de LeR
1
  1. O Concurso é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura, enquadrada na 11ª Edição da Semana da Leitura, que se centra no Prazer de LeR em todos os momentos e em todos os lugares, sendo os trabalhos a apresentar a concurso partes integrantes das celebrações das escolas/dos agrupamentos.
2. O Concurso desenvolve-se no quadro dos objetivos definidos para a Semana da Leitura de 2017, nomeadamente:
 promover o gosto pela leitura, sublinhando as dimensões do prazer e da festa;
 tornar visível a leitura e a escrita, na comunidade escolar;
 estimular a imaginação articulando a palavra, a leitura, as ciências e as artes;
 envolver as famílias e as comunidades em atividades de leitura.
3. O público-alvo do concurso é constituído pelas crianças e pelos jovens de todos os níveis de educação e de ensino, bem como pelas famílias e outros elementos da comunidade em que cada escola ou agrupamento se insere.
4. Os trabalhos a apresentar a concurso terão por base a celebração do prazer de ler, conceito que marca a 11ª edição da Semana da Leitura e que deverá motivar a criação de trabalhos originais que ilustrem a diversidade de sentidos das leituras realizadas e que testemunhem a singularidade do ato e do gosto de ler, só ou acompanhado, em diversos momentos, contextos e enquadramentos.
4.1. Os trabalhos podem apresentar contributos de diferentes áreas que ilustrem, de forma criativa e original, o conceito , podendo configurar trabalhos de cariz informativo, expressivo ou publicitário (um cartaz, um anúncio, um spot ou jingle, ou um outdoor), a apresentar em ficheiros de imagem/vídeo.
4.2. Os trabalhos (individuais ou coletivos) podem contar com a participação de elementos da família ou da comunidade das crianças e dos alunos da escola/do agrupamento.
5. Os trabalhos a realizar, pelas crianças da educação pré-escolar e pelos alunos dos ensinos básico e secundário, devem:
5.1. aliar ao texto imagens originais que o ilustrem, através do recurso a materiais e a técnicas diversas e em conformidade com o trabalho escolhido;
5.2. utilizar textos/ temas musicais e/ou imagens de autor diretamente relacionados com o tema da presente edição deste concurso;
5.3. indicar um docente responsável pela orientação das crianças e/ou do(s) aluno(s) e pela participação da família e/ou da comunidade no desenvolvimento do trabalho, de modo a verificar a pertinência dos conteúdos e a assegurar a adequação e originalidade dos trabalhos;
5.4. apresentar uma ficha técnica relativa a cada trabalho, que indique a modalidade de participação escolhida e a autoria de textos, temas musicais e/ou imagens utilizados no trabalho.
6. São admitidos a concurso:
6.1. trabalhos coletivos
a) na educação pré-escolar, realizados pelas crianças de uma mesma sala;
b) no 1º ciclo do ensino básico, realizados pelos alunos de uma mesma turma.
6.2. trabalho individuais
a) nos 2º e 3º ciclos do ensino básico;
b) no ensino secundário.
7. Cada agrupamento ou escola não agrupada deve selecionar os trabalhos realizados pelas crianças e/ou pelos alunos, sendo da sua responsabilidade a pré-seleção dos trabalhos a enviar a concurso, por nível e ciclo de educação e de ensino.
7.1. As escolas não agrupadas podem concorrer com um trabalho por nível/ciclo de ensino.
7.2. Os agrupamentos de escolas podem concorrer com dois trabalhos por nível /ciclo de educação e de ensino.
7.3. Para além dos trabalhos referidos nos pontos 7.1 e 7.2., nesta edição, poderá ser apresentado a concurso um outro trabalho que ilustre a participação das famílias ou de grupos de adultos da comunidade num trabalho colaborativo com as crianças e/ou alunos do agrupamento ou da escola e que evidencie o prazer de ler.

8. Calendarização: Novembro de 2016

Lançamento do concurso e divulgação da respetiva informação junto dos estabelecimentos de educação e de ensino.

Até 31 de março de 2017

 Inscrição da escola (não agrupada ou sede do agrupamento) no concurso através de preenchimento de formulário próprio disponível no Sistema de Informação do Plano Nacional de Leitura SIPNL.

Até 24 de abril de 2017

Seleção do(s) trabalho(s) a apresentar a concurso pelo agrupamento/pela escola não agrupada (por nível/ciclo de educação e de ensino de cada escola).

 Envio pela escola sede do agrupamento/ escola não agrupada do(s) trabalhos(s) selecionado(s), por nível/ciclo de educação ou de ensino, para o endereço pnlconcursos@gmail.com.

Maio de 2017

Análise e seleção, pelo júri nacional, dos trabalhos apresentados a concurso.

Junho de 2017

Divulgação dos vencedores – por nível/ciclo de educação e de ensino.
 Entrega de prémios aos alunos e às escolas.



O Concurso para Jovens Cientistas é desenvolvido, em Portugal, pela Fundação da Juventude desde 1992, tendo por objetivos promover os ideais da cooperação e do intercâmbio entre jovens cientistas e estimular o aparecimento de jovens talentos nas áreas da Ciência, Tecnologia, Investigação e Inovação.

De âmbito nacional, este concurso pretende incentivar a realização de projetos científicos inovadores nas escolas.
Esta edição é organizada pela Fundação da Juventude em colaboração com a Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica.

Quem pode participar

Podem participar neste concurso, estudantes a frequentar o ensino básico, secundário ou primeiro ano do ensino superior, em Portugal, com idades compreendidas entre os 15 e os 20 anos (sendo que devem ter menos de 21 anos a 30 de setembro e mais de 14 anos a 1 de setembro).
São admitidos a concurso projetos individuais ou em grupo, com o máximo de 3 elementos.
Os trabalhos devem ter sido concluídos antes da entrada no ensino superior.

Como participar

Os projetos devem enquadrar-se numa das seguintes áreas de estudo: Biologia; Ciências da Terra; Ciências do Ambiente; Ciências Médicas; Ciências Sociais; Economia; Engenharias; Física; Informática/Ciências da Computação; Matemática, Química e Bioeconomia.
Na área da Bioeconomia os projetos devem basear-se no uso de materiais biológicos renováveis provenientes de plantas, animais ou micro-organismos, para aplicação nos seguintes domínios: a) Segurança alimentar, nutrição e saúde; b) Produção de materiais não alimentares inovadores.
Não são admitidos a concurso trabalhos que envolvam substâncias radioativas, materiais tóxicos e cancerígenos, experiências que impliquem o sofrimento físico ou psicológico de animais vivos, ou a sua morte.
Os projetos devem ser submetidos eletronicamente até 21 de abril de 2017, através do preenchimento do seguinte formulário.
Cada escola poderá submeter até um máximo de 6 trabalhos.
Durante a candidatura os jovens devem preencher o formulário on-line e anexar o projeto de acordo com as seguintes indicações:
- Identificar claramente a área de estudo;
- Apresentar um sumário de uma página A4 contendo os aspetos mais relevantes do projeto (palavras-chave, objetivos, metodologia, observações e conclusões);
- Apresentar um relatório escrito com um máximo de 10 páginas A4, em ficheiro pdf. (máximo de 3MB);
- Organizar o relatório de acordo com os seguintes elementos: título, índice, resumo, introdução, metodologia, resultados, discussão, conclusão e bibliografia.
- Poderão ainda apresentar anexos como fotografias, desenhos, gráficos e vídeos (máximo de 10MB);
- Redigir uma descrição simples e clara do trabalho para incluir catálogo oficial da 11ª Mostra Nacional de Ciência (máximo de 10 linhas).
O trabalho deverá ser escrito em português. No entanto, os projetos premiados que venham a participar na Final Europeia devem, até ao dia 6 de junho, entregar o projeto traduzido para Inglês.


                                     Regulamento do concurso
Artigo1 Enquadramento e objetivos 1 - O concurso 7 dias, 7 dicas sobre os media é uma iniciativa promovida pela Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) em parceria com a Comissão Nacional da Unesco (CNU), a Direção-Geral da Educação (DGE), a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), a Fundação PT (FPT) e a Secretaria Geral da Presidência de Conselho de Ministros (SGPCM). Consiste num concurso de produção de conteúdos sobre os media, de acordo com o presente regulamento. 2 – No termo media englobamos quer os meios de comunicação social clássicos - imprensa escrita, rádio, televisão e cinema – quer os novos meios de comunicação que se desenvolveram com as TIC: sítios e páginas da Internet, redes sociais e outras plataformas e ferramentas de comunicação digital e interativa. No âmbito deste concurso, os trabalhos a apresentar podem focar-se sobre qualquer um daqueles media, desde que o façam nos termos do regulamento. 3 - São objetivos do concurso 7 dias, 7 dicas sobre os media contribuir para fomentar na comunidade educativa, particularmente nos alunos: uma utilização mais segura da Internet; o uso crítico e criativo dos media; a liberdade de expressão; e o respeito pelos direitos de autor.
Artigo2 Destinatários 1 - O concurso é destinado a alunos de escolas públicas, privadas e cooperativas, de ensino básico e secundário, e a escolas profissionais. 2 -Os trabalhos são agrupados em duas grandes categorias:  da autoria de alunos do1.º e2.º ciclos do ensino básico;  da autoria de alunos do 3.º ciclo do ensino básico, do ensino secundário e do ensino profissional. 3 – Qualquer escola, autónoma ou agrupada, pode apresentar um trabalho sobre cada um dos temas indicados no artigo seguinte, em cada uma das categorias distinguidas (1.º/ 2.º ciclos e 3.ºciclo/secundário/profissional). 4 - Aceitam-se trabalhos individuais ou de grupo com o máximo de 3 alunos, devendo cada trabalho ter um docente associado como orientador e supervisor.
Artigo3 Temas 1 – Cada trabalho deve abordar um e só um destes temas:  uso dos media na sala de aula e na biblioteca  segurança online  dados pessoais e reputação online
 liberdade de expressão  plágio e direitos de autor  inclusão e cidadania digitais  dependência online 2 - O tema escolhido só pode ser abordado, pelos mesmos autores, numa das tipologias a seguir definidas:7 dicas ou narrativa.
Artigo4 Tipologia e formato dos trabalhos 1 -São aceites duas tipologias distintas de trabalhos:  Tipologia 7 dicas - trabalhos compostos por alertas, recomendações ou conselhos que serão designados por dicas, em formato apresentação eletrónica ou cartaz.  Tipologia narrativa - trabalhos compostos por uma narrativa, construída a partir de situações reais ou imaginadas, em formato banda desenhada ou vídeo. 2 -Na tipologia7 dicas:  Cada trabalho deve conter 7 (sete)  dicas sobre o tema selecionado.  As apresentações eletrónicas, em formato ppt ou pptx, não podem ultrapassar o limite de10 slides, incluindo título, identificação de fontes e ficha técnica.  Os cartazes, a apresentar em pdf, devem ser elaborados em tamanho correspondente a A3,com a ficha técnica em rodapé. 3 -Na tipologia narrativa:  O conteúdo da narrativa deve abordar criticamente o tema selecionado.  A banda desenhada, a apresentar em pdf, deve ter o máximo de 3 páginas em tamanhoA4,incluindoafichatécnica.  Os vídeos, em formato avi, flv, mpeg, wmv ou mp4, não podem ultrapassar os 3 minutos de duração, incluindo título, identificação de fontes e ficha técnica. 4 - Não são aceites trabalhos produzidos em Prezi, em aplicações com a extensão .exe ou em outros formatos que não os especificados. 5 – Todos os trabalhos devem incluir uma ficha técnica com: tema do trabalho; nome e ano do(s) aluno(s); nome do professor orientador; identificação da escola e do agrupamento; e ano de edição do trabalho. 6 - Em qualquer dos formatos, os trabalhos a concurso devem ser obras originais, não sendo admitidas cópia de trabalhos já existentes.
Artigo5 Seleção 1 - A primeira fase de seleção dos trabalhos é feita internamente nas escolas, pelos professor orientador e professor bibliotecário, de forma a apurarem um trabalho por tema e categoria (categoria 1.º/2.º ciclose categoria3.º ciclo/secundário/profissional).
2 - A segunda fase de apreciação dos trabalhos é feita pelo júri do concurso, que seleciona o melhor trabalho recebido em cada categoria (1.º/ 2.º ciclos; 3.º ciclo/ secundário/ profissional) e tipologia(7dicas; narrativa). 3 - O júri é constituído por elementos representantes de todas as entidades parceiras Comissão Nacional da Unesco, Direção-Geral da Educação, Fundação para a Ciência e Tecnologia, Fundação PT, Rede de Bibliotecas Escolares e Secretaria Geral da Presidência de Conselho de Ministros.
Artigo6 Critérios de apreciação 1 -O júri do concurso aprecia os trabalhos com base nos seguintes critérios: - Criatividade. - Pertinência e adequação dos conteúdos. - Clareza e correção da expressão. - Qualidade técnica. - Adequação das imagens e/ou dos sons. - Identificação das fontes usadas.
Artigo7 Prémios 1 – Os prémios distinguirão o trabalho com maior pontuação em cada categoria e tipologia, num total de quatro, distribuindo-se deste modo:  Categoria 1.º/2.º ciclo:Prémio7dicase Prémio narrativa.  Categoria 3.ºciclo/ secundário/profissional: Prémio 7dicasePrémionarrativa. 2 – Os alunos autores dos trabalhos premiados receberão, individualmente, um tablet. 3 - O professor orientador de cada trabalho vencedor receberá um conjunto de publicações e um prémio em tecnologia a definir. 4 -O júri pode deliberar a não atribuição de Prémio em qualquer das categorias e/ou tipologia, se considerar que os trabalhos concorrentes não têm a qualidade necessária. 5 -O júri pode deliberar a atribuição de Menções Honrosas.
Artigo8 Prazos 1 - Os trabalhos de cada escola, no máximo de um por tema e por categoria, devem ser enviados pelo professor bibliotecário até ao dia 17 de março de 2017, através do endereço eletrónico 7dicas@mail-rbe.org, podendo ser usada a via wetransfer (https://www.wetransfer.com/) para os ficheiros mais pesados. 2 - A comunicação dos resultados do concurso será feita durante a Semana dos Media, que ocorrerá emmaiode2017,nos portais e redes sociais das entidades promotoras.
Artigo9 Direitos de utilização e divulgação 1 - Os autores de cada trabalho responsabilizam-se pelo seu conteúdo e garantem que o mesmo é integralmente da sua autoria, salvaguardando que o trabalho e a respetiva divulgação não infringem quaisquer direitos de autor ou direitos conexos. 2 - Ao participar no concurso, os autores dos trabalhos dão o seu consentimento expresso a que as entidades promotoras daquele possam divulgar publicamente, sob uma licença Creative Commons, quer os trabalhos vencedores, quer outros trabalhos oponentes.
Artigo10 Disposições finais 1 - Todos os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pelo júri. Das decisões do júri não haverá recurso.


CONCURSO FAÇA LÁ UM POEMA

Concurso do Plano Nacional de Leitura
2016/2017
Regulamento

Com intenção de incentivar o gosto pela leitura e pela escrita de poesia e no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Poesia, o Plano Nacional de Leitura, PNL, e a Fundação Centro Cultural de Belém, CCB, convidam todas as escolas do país, públicas e privadas, a participar no Concurso FAÇA LÁ UM POEMA, FLP, que decorrerá entre Dezembro de 2016 e Março de 2017.
O concurso FLP é dirigido aos alunos dos níveis de ensino Básico e Secundário de todas as escolas (agrupadas e não agrupadas), do continente e ilhas.
Tal como em edições anteriores, a apresentação pública dos poemas que se destacarem pela sua criatividade e originalidade, terá lugar no Centro Cultural de Belém, no âmbito das comemorações do DIA MUNDIAL DA POESIA que se celebra a 21 de Março de 2017. Por se tratar de um dia útil da semana, Terça- Feira, a cerimónia de apresentação dos vencedores e a entrega de prémios será feita no fim de semana seguinte, em data a anunciar posteriormente (25 / 26).
COMO PARTICIPAR:
1. A participação no concurso é individual [não serão considerados trabalhos de grupo ou de turma].
2. O envio dos poemas a concurso deve ser feito, impreterivelmente, até ao dia 24 de Fevereiro de 2017.
Os textos enviados depois desta data não serão considerados a concurso.
3. A Seleção dos Poemas a Concurso é feita pelo responsável do FLP em cada agrupamento/escola não agrupada, de acordo com o procedimento seguinte:
a) Cada AGRUPAMENTO seleciona, de entre todos os já pré-selecionados e enviados pelas escolas, os
4 melhores poemas -1 por cada nível de ensino.
b) Cada ESCOLA NÃO AGRUPADA seleciona os 4 melhores poemas - 1 por cada nível de ensino.
4. Os Poemas selecionados devem ser enviados para o Plano Nacional de Leitura em Formulário próprio
onde constam os respetivos elementos de identificação:
a) O Formulário do concurso, disponível a partir do dia 01 de Janeiro de 2017, na página do PNL, deverá
ser devidamente preenchido e submetido por um professor responsável.
b) O Formulário deve ser anexado a uma mensagem a enviar para o PNL.
c) Só serão consideradas válidas as inscrições em que constem os dados corretos de identificação da
escola.
5. O Concurso não é subordinado a nenhum tema específico.
6. Os critérios de avaliação dos poemas enviados obedecem, genericamente, aos itens seguintes:
adequação morfológica e sintática |riqueza de conteúdo |originalidade do tema e do estilo
7. Os poemas serão avaliados por um júri de cinco elementos, designados pelo CCB e pelo PNL.
8. As decisões do júri são soberanas pelo que não são sujeitas a recurso.
9. Os textos que não corresponderem às cláusulas do presente regulamento não serão considerados para
efeitos de concurso.
10. Aos autores dos que forem considerados os melhores Poemas, serão atribuídos prémios, a anunciar
oportunamente e a divulgar na página dos Concursos PNL.
11. Os poemas premiados serão publicados na página dos Concursos do PNL e no sítio do CCB.
12. Os premiados serão convidados a ler os seus poemas na cerimónia pública de entrega dos prémios, a
realizar em Março de 2017, a propósito do Dia Mundial da Poesia, no CCB – Centro Cultural de Belém -
Lisboa.



A Câmara Municipal do Fundão promove a 1.ª edição do Prémio Escolar - Festival Literário da Gardunha
que tem como objetivo incentivar a criatividade literária entre os mais jovens, bem como o gosto pela
escrita.
A iniciativa destina-se a premiar textos inéditos na modalidade de conto, sobre o tema ‘A Viagem’, no
âmbito da 4.ª edição do Festival Literário da Gardunha, que decorre entre 16 e 21 de Maio de 2017,
no Fundão.
Podem concorrer jovens que frequentem o 10.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade de instituições de ensino
do distrito de Castelo Branco e do território abrangido pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra
da Estrela. Cada concorrente poderá apresentar apenas um só trabalho até dia 14 de Abril de 2017.
Os trabalhos a apresentar serão subordinados às seguintes normas: a) O texto, obrigatoriamente
redigido em língua portuguesa, deverá ter até 10 páginas A4, com espaçamento duplo entre as linhas
e tipo de letra Times New Roman, tamanho 12, devendo ser entregues 4 cópias de cada trabalho; b)
Os originais deverão ser remetidos, sob pseudónimo, por correio registado, para a sede da Biblioteca
Municipal do Fundão, sito na Rua Conselheiro José Alves Monteiro 11, 6230-250 Fundão, com a
indicação ‘Prémio escolar – Festival Literário da Gardunha’, podendo, ainda, ser entregues pessoalmente
na Biblioteca; c) Juntamente com os originais, deverá ser enviado ou entregue um sobrescrito, fechado
de forma a garantir a respetiva inviolabilidade, contendo no interior os dados de identificação do
concorrente e da sua escola e ostentando, no exterior, o pseudónimo escolhido e o título do trabalho
apresentado; d) Em caso de entrega pessoal, só serão aceites os trabalhos recebidos na Biblioteca
Municipal do Fundão até à data que, relativamente a cada ano de atribuição do prémio, seja fixada
por deliberação desta; e) Em caso de envio pelo correio, só serão aceites os trabalhos expedidos até à
data referida da alínea anterior, sendo a expedição comprovada pela aposição do carimbo dos
serviços postais.
Ao trabalho que, pela sua qualidade literária, mais se distinga será atribuído um prémio – IPad. Ao
segundo premiado, caberá uma visita à Casa Fernando Pessoa, em Lisboa. Ao terceiro premiado, será
oferecida uma estadia de uma noite para duas pessoas na Pousada da Mina. Aos três premiados
serão oferecidos livros. A decisão do júri será tomada no prazo de 30 dias úteis, contados a partir da
data fixada para a entrega dos trabalhos. Ainda, o vencedor será apresentado publicamente no
decorrer da IV edição do Festival Literário da Gardunha. Da decisão do júri não haverá recurso.
PRÉMIO ESCOLAR
- FESTIVAL LITERÁRIO DA GARDUNHA




           PRÉMIO EXPRESSÃO VOX POPULI 2016/17  (FOTOGRAFIA)



1.OBJETIVO DO PRÉMIO

O Prémio EXPRESSÃO VOX POPULI surge no Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque da Guarda (AEAAG) com o propósito de interessar os jovens pelo mundo do jornalismo e pela intervenção nos meios de comunicação social. É este também um dos objetivos do Clube EXPRESSÃO e do Blogue com o mesmo nome. Este desígnio da intervenção juvenil liga-se também a uma bandeira importante nos dias de hoje: a sustentabilidade do nosso mundo e do nosso estilo de vida.

Aliando os dois temas e em nome da educação para os media, foi possível associar a este Prémio a Fundação Vox Populi, que intervém nesta área e cuja direção é assegurada por um antigo aluno do Liceu Nacional da Guarda, Luís Teixeira Queirós. Esta Fundação patrocina assim 50% do Prémio EXPRESSÃO Vox Populi, durante 4 anos letivos: de 2014/15 a 2017/18, sendo os restantes 50% assegurados pelo Agrupamento.

Na sequência do Prémio EXPRESSÃO Rio Vivo, o Prémio EXPRESSÃO Vox Populi pretende levar os jovens a produzir texto e fotografia que aliem a sua vontade de intervenção e a procura de um mundo mais justo e sustentável. No presente quadriénio o Prémio orienta a modalidade de fotografia para o 3º Ciclo sinalizando aos jovens que é possível despertar a sensibilidade artística desde cedo.

2.CONCORRENTES
Podem concorrer a este Prémio EXPRESSÃO Vox Populi de Fotografia os alunos das turmas do 7º, 8º e 9º anos, individualmente ou em pares.
3. MODALIDADES, TEMAS E FORMATOS
Cada aluno ou par deve apresentar um conjunto de 5 fotografias sobre o mesmo tema, centrando-se num espaço específico indicado em cada ano pela organização, podendo este tema ser livre ou ligado ao ambiente e à sustentabilidade. Este ano o tema é a Escola Secundária Afonso de Albuquerque nos seus espaços verdes ou ajardinados, interiores ou exteriores ao edifício mas sempre dentro da cerca. As fotografias são apreciadas em conjunto, sendo critérios de apreciação a força da sua mensagem e a qualidade técnica e artística.
4. MODO E PRAZO DE ENTREGA
Quanto às 5 fotografias, elas são de formato livre e devem ser entregues em suporte digital (formato CD ou DVD) entre 13 de outubro e 16 de dezembro de 2017 na Biblioteca Escolar Vergílio Ferreira ou enviadas para o e-mail blogueexpressao@gmail.com. Simultaneamente deve ser preenchida na Biblioteca Escolar a respetiva Ficha de Inscrição em papel. As fotografias serão designadas pelo pseudónimo escolhido na Ficha de Inscrição, seguido dos números 1 a 5. Não serão aceites fotografias em qualquer outro suporte. A inscrição, cuja ficha contém espaço para indicação obrigatória de um e-mail, apenas fica confirmada depois de o concorrente receber a resposta por e-mail do coordenador do Clube EXPRESSÃO.  

5.CONSTITUIÇÃO DO JÚRI
O júri do Prémio EXPRESSÃO Vox Populi na Modalidade de Fotografia será constituído por um elemento designado pela Associação de Pais do AEAAG, um professor do Agrupamento designado pelo Diretor do mesmo e uma personalidade convidada pelo Clube EXPRESSÃO ligada à cidade ou à região. Os três elementos do júri elegerão entre si o Presidente, que coordenará os respetivos trabalhos e que terá voto de qualidade em caso de empate. No final dos trabalhos do júri será redigida pelo mesmo uma ata que fundamentará as decisões tomadas.
6.VALOR DOS PRÉMIOS
Os Prémios a atribuir serão os seguintes: 1º classificado: 150 Euros; 2º classificado: 100 Euros; 3º classificado: 50 Euros. Caso as fotos premiadas sejam de um grupo, a importância do prémio será dividida de modo igual pelos elementos do grupo.  

7.DIVULGAÇÃO
A divulgação dos resultados será feita até ao fim do mês de março de 2017 simultaneamente no site da Escola e no Blogue EXPRESSÃO.


8.DISPOSIÇÕES FINAIS
Qualquer dúvida colocada sobre a interpretação e aplicação do presente Regulamento será resolvida pelo coordenador do Clube EXPRESSÃO, depois de consultado o Diretor do Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque.


PRÉMIO EXPRESSÃO VOX POPULI 2016/17 

(TEXTO)

1.OBJETIVO DO PRÉMIO

O Prémio EXPRESSÃO VOX POPULI surge no Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque da Guarda (AEAAG) com o propósito de interessar os jovens pelo mundo do jornalismo e pela intervenção nos meios de comunicação social. É este também um dos objetivos do Clube EXPRESSÃO e do Blogue com o mesmo nome. Este desígnio da intervenção juvenil liga-se também a uma bandeira importante nos dias de hoje: a sustentabilidade do nosso mundo e do nosso estilo de vida.

Aliando os dois temas, foi possível associar a este Prémio a Fundação Vox Populi, que intervém nesta área e cuja direção é assegurada por um antigo aluno do Liceu Nacional da Guarda, Luís Teixeira Queirós. Esta Fundação patrocina assim 50% do Prémio EXPRESSÃO Vox Populi, durante 4 anos letivos: de 2014/15 a 2017/18, sendo os restantes 50% assegurados pelo Agrupamento.

Na sequência do Prémio EXPRESSÃO Rio Vivo vigente entre 2010/11 e 2013/14, o Prémio EXPRESSÃO Vox Populi pretende levar os jovens a produzir texto e fotografia que aliem a sua vontade de intervenção e a procura de um mundo mais justo e sustentável. No que respeita à modalidade de texto, ela fica reservada neste quadriénio ao Ensino Secundário, onde a capacidade de redação de crónica ou texto de opinião está já amadurecida e são por isso de esperar boas produções. Por outro lado, feita a avaliação de vários anos de concurso, achou-se por bem valorizar a escrita sem erros, pelo que a 1ª fase do concurso de texto será um exercício de ortografia. Finalmente optou-se por alterar o formato do Concurso a realizar em sessões na escola para se conseguir uma maior participação.



2.CONCORRENTES

Podem concorrer a este Prémio de Texto todos os alunos do Ensino Secundário que frequentem o Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque.



3. MODALIDADES, TEMAS E FORMATOS

O Prémio desenvolve-se na modalidade de ditado ou exercício de ortografia + crónica ou texto de opinião, destinada aos alunos do Ensino Secundário.

Serão assim 2 fases:

1ª fase: nas turmas do Ensino Secundário desenvolve-se em outubro-novembro na aula de Português um exercício de ortografia de forma a avaliar as capacidades dos alunos na ortografia (e eventualmente na pontuação). O tipo de exercício a fazer em turma será da responsabilidade do professor. São apurados em cada turma os dois concorrentes que tenham textos com menos erros e ainda o terceiro, que ficará como suplente. Caso haja empates, o professor de Português fará entre os alunos nesta situação um pequeno exercício de desempate.

2ª fase: os concorrentes apurados ficam automaticamente inscritos para a fase seguinte, em que terão de redigir um texto de opinião ou crónica entre 300 e 400 palavras. O texto é elaborado à mesma hora na escola por todos os concorrentes a partir do mesmo enunciado e será apreciado pela sua mensagem, pela profundidade e originalidade da abordagem, pela correção linguística e pela qualidade literária. A prova terá a duração de 45 minutos (+30 minutos de tolerância) e realizar-se-á na primeira quinzena de janeiro num horário extraletivo.

Caso um dos dois apurados por turma na 1ª fase desista da 2ª fase poderá ser chamado a participar o 3º classificado da turma. Não poderá haver mais substituições para além desta nem poderá ser substituto qualquer aluno que não esteja nos 3 primeiros lugares. A desistência e a substituição dos alunos desistentes terá que ser feita até ao fim do 1º período.



5. MODO E PRAZO DE ENTREGA

Quanto à modalidade de texto, ela desenvolve-se, como acima foi referido, em ambiente escolar. A prova de ditado / exercício de ortografia será realizada em ambiente de turma no 1º período em calendário a especificar; a prova de crónica / texto de opinião será realizada na primeira quinzena de janeiro em sala de aula com os alunos do Ens. Secundário apurados em cada turma.



6.CONSTITUIÇÃO DO JÚRI

Na fase de turma, caberá ao professor de Português da Turma com a redação de um ditado / exercício de ortografia apurar os dois alunos com menos erros e o terceiro classificado, que ficará como suplente, sendo da escolha do professor da turma a forma de avaliar a correção ortográfica.  

Na fase de elaboração de uma crónica / texto de opinião o júri será constituído por um elemento designado pela Associação de Pais do AEAAG, um professor do Agrupamento designado pelo Diretor do mesmo e uma personalidade convidada pelo Clube EXPRESSÃO ligada à cidade ou à região.



7.VALOR DOS PRÉMIOS

Os Prémios a atribuir serão os seguintes: 1º classificado: 150 Euros; 2º classificado: 100 Euros; 3º classificado: 50 Euros.

Como acima aparece referido, 50% do total de Prémios é da responsabilidade da Fundação Vox Populi, sendo o restante 50% da responsabilidade do Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque.



8.A divulgação dos resultados será feita simultaneamente no site da Escola e no Blogue EXPRESSÃO até ao final do mês de março de cada ano letivo.



9.DISPOSIÇÕES FINAIS

Qualquer dúvida colocada sobre a interpretação e aplicação do presente Regulamento será resolvida pelo coordenador do Clube EXPRESSÃO, depois de consultado o Diretor do Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque.



REGULAMENTO




Quem pode participar?


Qualquer escola que tenha turmas entre o 1º e o 9º ano, pública ou privada. A iniciativa é também aberta a estabelecimentos de ensino no estrangeiro, que lecionem os mesmos anos de escolaridade e que tenham o Português como primeira língua.


Como participar?

A participação das escolas será feita idealmente através da biblioteca escolar, sendo a biblioteca da escola sede a centralizar todo o processo. Quando não existir biblioteca no estabelecimento de ensino, a escola poderá ainda assim participar, organizando as atividades sob a coordenação de um professor designado para o efeito. Basta que o professor bibliotecário coordenador ou outro professor responsável pela ação (no caso de escolas sem biblioteca escolar) preencha o formulário disponível em https://goo.gl/forms/pTcpRIHxvxYbkle32, até 5 de dezembro manifestando o interesse em participar, identificando a escola, o professor bibliotecário ou outro professor responsável e os ciclos que irão participar.
Cada escola que preencher o formulário receberá um cartaz eletrónico para imprimir e afixar, o logótipo da iniciativa para usar nos seus canais digitais e para poder criar o seu próprio material de divulgação.
Todo o material de apoio a esta iniciativa (fichas com sugestões de atividades nas bibliotecas e na salas de aula, fichas com informação sobre um processo eleitoral desta natureza, etc.) será disponibilizado através do sítio da VISÃO Júnior na internet e na página do projeto no portal da Rede de Bibliotecas Escolares.
Esta fase corresponde ao recenseamento numas eleições.

Que livros se ‘apresentam’ a estas eleições?

Todos os livros, sejam eles de prosa, poesia, banda desenhada ou teatro, podem ser candidatos. A escolha dos livros candidatos que concorrerão a estas eleições será realizada pelos alunos, através do preenchimento do formulário disponível em https://goo.gl/forms/BsO1aHMgUhJF2BWz1, até 19 de dezembro.
Esta fase corresponde à apresentação de candidaturas.

Como se saberá quais são os livros candidatos?

A partir de todos os títulos apresentados pelos alunos, e com o apoioda Pordata, será constituída uma lista final nacional dos livros candidatos que irão a votos a 17 de março. Para entrar na lista, será necessário recolher um número mínimo de candidaturas, tal como os candidatos a umas eleições presidenciais têm de apresentar um número mínimo de assinaturas.
A lista, em que cada obra corresponderá a um número, será tornada pública a 5 de janeiro na VISÃO Júnior online e no portal da RBE, em formato descarregável, de forma a poder ser impressa. A cada livro corresponderá um número.

O que acontece durante a campanha eleitoral?

Em cada escola, os alunos que queiram fazer campanha por um livro inscrevem-se junto do professor bibliotecário ou de outro professor responsável.
A organização das inscrições, as ações de campanha e o calendário da campanha eleitoral serão da responsabilidade da biblioteca escolar ou do professor responsável (nas escolas onde não exista biblioteca).
Durante a campanha eleitoral, os alunos defenderão publicamente o livro de que mais gostam. Poderão fazê-lo dentro da sala de aula (equivalente a uma ‘sessão de esclarecimento’), na biblioteca escolar ou na sala de alunos (equivalente a um ‘comício’), através de cartazes afixados na sala de aula, na biblioteca ou noutro local público da escola (‘cartaz’) ou das redes sociais e meios digitais da escola (equivalente a ‘tempo de antena’). Poderão também organizar debates entre vários candidatos e desenvolver outro tipo de material de propaganda, como autocolantes, pins, folhetos, etc.
Nas edições de fevereiro e março, a revista VISÃO Júnior dará espaço aos candidatos – quer fazendo entrevistas a alunos, quer publicando trabalhos escritos e cartazes.
A partir de 1 de fevereiro, altura em que começa a campanha eleitoral, e até 15 de março, a cobertura estender-se-á à página da VISÃO Júnior na internet e ao Facebook.
Para que as ações de campanha possam ser noticiadas, as escolas devem enviar informação miudosavotos@visao.impresa.pt.
A campanha termina a 15 de março. Dia 16 será o dia de reflexão.

Organização do ato eleitoral

Para as eleições, que decorrerão a 17 de março, será necessário escolher um presidente por cada, que supervisiona a urna no dia da votação.
Devem também ser constituídos grupos de alunos que acompanhem e ajudem à contagem de votos (tal como acontece nas eleições políticas).
Estes elementos devem estar escolhidos até 28 de fevereiro.

Eleições

As eleições devem decorrer preferencialmente na biblioteca da escola ou num lugar de fácil acesso a todos os alunos. Para facilitar o processo, poderá haver mais do que uma mesa de voto por escola. O horário e o local de votação deverá ser tornado público atempadamente a todos os alunos da escola.
Deverá haver uma urna de voto por cada ciclo de ensino, de forma a que se faça separadamente o escrutínio dos votos do 1º ciclo, do 2º ciclo e do 3º ciclo.
Cada escola terá de criar as suas urnas de voto (é muito simples fazer uma com uma caixa de papel A4). Nos boletins de voto, os alunos terão apenas de escrever o número correspondente ao livro em que querem votar, número esse indicado na lista final nacional.
O papel dos votos deve ter todo o mesmo tamanho. O voto deve ser dobrado antes de colocado na urna.
Neste processo eleitoral, as listas das turmas funcionarão como cadernos eleitorais. À medida que os alunos votarem, os elementos da mesa eleitoral darão baixa de cada nome.
Serão considerados nulos todos os votos que tenham mais coisas escritas, para além do número do livro.

Escrutínio

A contagem dos votos será coordenada pelo professor responsável (ou quem ele designar) e pelo(s) grupo(s) de alunos nomeado(s) para o efeito.
O escrutínio terá de ser efetuado até 27 de março, dia em que os agrupamentos/escolas enviarão os resultados da forma que lhes for indicada posteriormente.
Quando tal se aplica, a biblioteca escolar da escola sede reunirá os votos de todas as escolas do agrupamento. A escola poderá tornar públicos os resultados da votação ali efetuada no primeiro dia de aulas do 3º período, se assim o entender.

Apresentação dos resultados eleitorais

Os resultados eleitorais a nível nacional serão apurados pela Pordata e tornados públicos a 20 de abril.

Dúvidas podem ser enviadas para miudosavotos@visao.impresa.pt