LEITURA E ESTUDO


Escola Secundária Afonso de Albuquerque
Biblioteca Escolar Vergílio Ferreira

Como promover a leitura e o estudo na família
DICAS PARA OS PAIS
15 PERGUNTAS, 15 RESPOSTAS
janeiro 2017


1)Porque é importante promover a leitura e o estudo na família?
A leitura é o meio privilegiado na escola no acesso ao conhecimento, sendo por isso fundamental dominar as capacidades de compreensão e interpretação de textos. Os textos oferecem sempre resistências e obstáculos mas são estas e estes que criam “bons leitores”.
Sem a colaboração da família ou com a sua passividade, o aluno não leva a sério e acaba por não concretizar muitas das recomendações que os professores transmitem de forma a melhorar a capacidade de ler dos alunos. É por isso importante que os pais coadjuvem os professores, de forma que o ambiente familiar favoreça a leitura e, no caso do estudo, crie as condições necessárias para que este tenha rendimento.
Tanto no que respeita à leitura como ao estudo, uma grande concorrência está a ter lugar por parte da Internet e das redes sociais, que açambarcam o tempo livre dos alunos e os indispõem para a adoção de atitudes de aplicação e persistência quando fazem leituras de médio ou longo alcance ou quando estudam, atividades que não geram tanto prazer como a Internet. A experiência dos professores e os inquéritos feitos revelam por exemplo que os alunos boicotam na sua maioria a leitura integral das obras, tal como é pedido pelos currículos.
2)Leitura e estudo são atividades semelhantes?
Quando falamos de leitura, falamos de descodificação de textos com a sua compreensão e consequente interpretação, que alarga o âmbito da compreensão, estabelecendo inferências e conexões. Em grande parte deste texto vamos referir o termo “leitura” como leitura extensiva para fins simultaneamente recreativos e curriculares lidando com textos ou obras de tamanhos variados para reflexão e análise.
Quando falamos de estudo, trata-se de um conjunto de estratégias (das quais a mais importante é a leitura) que levam a que o aluno apreenda os conhecimentos dos programas, os consolide com alguma memorização, os aplique em seguida e seja depois capaz de os repor em situação de avaliação.
Muitas vezes o aluno foge da leitura porque associa a leitura ao trabalho escolar que é construído a partir da leitura, frequentemente com resultados que não são motivadores para esta tarefa. Sendo também a adolescência uma idade de rejeição dos pais e da própria escola, temos a consciência de que muitas vezes é difícil intervir e obter bons resultados com os nossos estímulos. Mas não podemos ficar parados.
3)E a leitura recreativa em que consiste?
Trata-se de um tipo de leitura que parte dos interesses dos alunos e que, conseguindo uma compensação emocional (o prazer de ler), leva os jovens a verem-se refletidos nessas leituras e também ao mundo em que vivem. Este tipo de leituras, embora não seja obrigatório na maior parte das disciplinas, consolida a capacidade de descodificar, interioriza valores e dá aos leitores mais ferramentas para intervir na sociedade e na escola, relacionando os conteúdos formais do currículo com a sua realização na vida e no mundo, relação que o aluno nem sempre vislumbra quando trabalha os conteúdos programáticos em cada disciplina.
4)É o texto literário que está no centro da leitura recreativa?
Sim, mas não exclusivamente. Quando os alunos estudam em Português os mecanismos do texto literário, aprendem que este é o texto mais rico e mais complexo, aplicando os mecanismos de linguagem que permitem os mais diversos efeitos no texto e realizando uma visão da vida não necessariamente ligada ao utilitarismo e ao carácter prático da vida. Ler um romance ou um conjunto de poemas pode dar um prazer dificilmente quantificável, ajudando a formar e a educar para a beleza, a diversidade do mundo e as filosofias de vida a ele associados. A leitura literária, reflexiva e contemplativa é a única que nunca esqueceremos completamente.
No entanto, atualmente há muitas obras de divulgação científica editadas com o fim de vulgarizar os conhecimentos científicos, traduzindo-os numa linguagem acessível e atraente para o grande público. Embora em muitos casos não se divulguem nessas obras olhares subjetivos sobre o mundo ou visões da vida que ajudem a entender a sua complexidade, no âmbito particular de algumas disciplinas essas obras fazem luz e mostram a ligação das disciplinas ou dos seus conteúdos com o mundo atual e a prática das pessoas. Nunca como hoje se fez tanta divulgação científica para um vasto público.
5)E no que respeita ao estudo, que aspetos são de valorizar?
O estudo é uma estratégia de aprendizagem que obriga a certos processos sem os quais a aprendizagem não resulta ou é rapidamente esquecida, não sendo depois reposta adequadamente nos momentos de avaliação. A aprendizagem tem de ser organizada, feita de modo ativo, nomeadamente através do envolvimento pessoal, da interação e da aplicação e adequada aos ritmos pessoais. É extremamente importante estabelecer desafios pessoais, limitar a desconcentração, organizar o estudo em períodos de tempo razoáveis e adequados à resistência pessoal, verbalizar e escrever ao estudar. Numa fase mais desenvolvida da aprendizagem dos conteúdos, convém relacioná-los através de esquemas e mapas de conceitos. Ao longo da aprendizagem e no seu final, impõe-se testar a aprendizagem feita com exercícios e testes.
6)Que obras têm os alunos de ler durante o 3º ciclo?

No âmbito de cada disciplina haverá obras literárias, de divulgação científica ou em língua estrangeira adequadas ao desenvolvimento dos conteúdos do programa. Em Português, as Metas Curriculares do domínio da Educação Literária estabelecidas em 2012 elencam um conjunto de leituras com um número mínimo de obras ou textos para analisar ao longo do ano em trabalho da disciplina. Algumas dessas obras ou textos são analisadas em trabalho coletivo na aula (várias delas constam mesmo dos manuais de que os alunos dispõem), outras são sugeridas para leitura recreativa, somando-se assim às listas do Plano Nacional de Leitura que elencam um conjunto volumoso de obras para escolha tanto no campo do texto literário como de divulgação científica. As obras das Metas Curriculares e as listas do PNL podem ser consultadas nos sites da DGE e do PNL.